PL EN


2017 | 20 | 57-66
Article title

Falares poloneses no sul do Paraná: descrição linguística e confluências com o português

Content
Title variants
EN
Polish Speech Varieties in Southern Paraná: Linguistic Description and Confluences with Portuguese
Languages of publication
PT
Abstracts
PT
O Estado do Paraná, localizado no sul do Brasil, recebeu milhares de imigrantes poloneses no final do século XIX e início do século XX. Esses imigrantes e seus descendentes cultivaram e mantiveram a cultura polonesa no Brasil, materializada na arquitetura, na culinária, no artesanato, nos ritos religiosos e no uso das línguas eslavas. O bilinguismo foi intenso na região e ainda hoje se faz presente, sendo que a língua eslava muitas vezes ainda é a primeira língua destes descendentes. Neste texto, apresentaremos dois eixos de pesquisas linguísticas desenvolvidas por pesquisadores da UNICENTRO vinculados ao Núcleo de Estudos Eslavos – NEES. Por um lado, investigamos a estrutura da língua polonesa falada na região, descrevendo seus detalhes fonéticos através de análise acústica com o software PRAAT. Essas pesquisas demonstram as particularidades desta língua que não é exatamente o polonês falado na Polônia atualmente, mas a língua trazida pelos imigrantes há um século atrás e que se diferenciou durante este tempo em contato com o português. Por outro lado, investigamos as características da fala destes descendentes na perspectiva teórica da sociolinguística quantitativa laboviana em busca das possíveis contribuições das línguas eslavas, polonês e ucraniano, para a constituição do português brasileiro falado na região. Para tanto, constituímos o Banco de Da-dos Variação Linguística de Fala Eslava – VARLINFE
EN
The State of Paraná in southern Brazil received thousands of Polish immigrants in the late 19th century and early 20th century. Immigrants and their descendants maintained and cultivated Polish culture in the new land, exemplified in architecture, food, artistry, religious rites and the use of Slavic language. Bilingualism was and is still greatly practiced in the region and it is still the native language of many descendants. This current investigation comprises two layers of linguistic research developed by UNICENTRO researchers linked to the Nucleus of Slavic Studies (NEES). On the one hand, the structure of the Polish variety spoken in the region is investigated, comprising phonetic details through an acoustic analysis with the software PRAAT. The research demonstrates that the language is not precisely that spoken currently in Poland, but was brought by immigrants a century ago and which differentiated itself throughout time due to contact with the Portuguese language. On the other hand, we investigated the features of speech by descendants of immigrants from the theoretical perspective of Labov’s quantitative socio-linguistics for possible contributions of Slavic languages, Polish and Ukrainian, on Portuguese in the region mentioned above. A database of Linguistic Varieties of Slavic Speech has been elaborated (VARLINFE).
Year
Issue
20
Pages
57-66
Physical description
Dates
published
2017-12-30
Contributors
References
  • Boersna, P., Weenik, D. (2013). PRAAT Doing Phonetics by Computer. Amsterdam: University of Amsterdam.
  • Costa, L.T. (2016). Os sons oclusivos no polonês falado em Mallet, PR. Revista (Con) Textos Lin-guísticos, 10 (16), 52-66.
  • Costa, L.T., Loregian-Penkal, L. (2016). O fenômeno de não-elevação da vogal /e/ na fala de descendentes de eslavos de Mallet, Paraná, Brasil. Revista de Letras Norte@mentos, 9 (20), 85-99.
  • Costa, L.T., Gielinski, M. (2014). Detalhes fonéticos do Polonês falado em Mallet. Revista (Con) Textos Linguísticos, 8 (10), 159-174.
  • Costa, L.T., Loregian-Penkal, L. (2015). A coleta de dados do banco VARLINFE – variação linguística de fala eslava: peculiaridades e características. Revista Conexão UEPG, 11 (1), 100-110.
  • Dlugosz, C. (2009). Dicionário de polaco-português/português-polaco. Porto: Editora Porto.
  • Fant, G. (1960). Acoustic Theory of Speech Production. The Haugue: Mouton.
  • Gluchowski, K. (2005). Os poloneses no Brasil: subsídios para o problema da colonização polo-nesa no Brasil. Porto Alegre: Rodycz & Ordakowski Editores.
  • Kent, R.D., Read, C. (1992). The Acoustic Analysis of Speech. San Diego: Singular Publishing Group.
  • Loregian-Penkal, L., Costa, L.T. (2014, maio). Elevação da vogal /e/ na fala de descendentes de poloneses de Mallet-PR: uma análise variacionista. Web-Revista Sociodialeto, 4 (12).
  • Loregian-Penkal, L., Costa, L., Lemke, C.E., Jacumasso, T. (2013). Banco de dados Variação Lin-guística de Fala Eslava VARLINFE. In: J.A. Campigoto, R. Chicoski (orgs.), Brasil-Ucrânia: linguagem, cultura e identidade. Jundiaí: Paco Editorial, 25-43.
  • Wachowicz, R.C. (2002). As escolas da colonização polonesa no Brasil. Curitiba: Champagnat.
Document Type
Publication order reference
Identifiers
YADDA identifier
bwmeta1.element.desklight-3d867318-d60c-4ca5-bc9e-5970170e0bea
JavaScript is turned off in your web browser. Turn it on to take full advantage of this site, then refresh the page.